PONTE JUPIÁ

       Ponte férrea sobre o rio Paraná. Utilizada como ponte rodoferroviária até o ano 1970, após a construção da Usina Hidrelétrica de Júpia, o tráfego rodoviário foi proibido, sendo usada até hoje por moradores do local para travessia a pé, de uma margem a outra.
       Comprimento 1200metros
       Inaugurada em 1926
 
           curiosidades:
       sendo o projeto inicial de 1889, partes do material da primeira ponte, serviu para a construção de pequenas pontes no estado de Mato Grosso do Sul, em 1918.


                      Quando criança iamos pescar e nadar, eu e meus irmãos. Lembro-me na época de cheia, os vertedouros da usina abriam, tornando a correnteza forte. Era muita água;  no barranco com a força da água peixes caiam entre as pedras, lambari, era muito lambari, de encher um balde cada um. Atropelo acontecia com os peixes maiores. Em qualquer parte do rio pegava-se peixe, embarcado ou barranco, linhada ou caniço.
                      Da margem via-se cardumes imensos, numerosos, várias espécies, corimbas, piaus, piaparas, dourados,.......
                      Corvinas e tilápias não são nativas, pois foram soltas pelo projeto de pscicultura da hidrelétrica. Hoje ja são consideradas património(se assim posso dizer). Como acontece com o tucunaré que é nativo da bacia Amazônica, mas já está a mais de 20 anos, já é nosso. É uma ótima pescaria.
                      Voltando a 1980 , 1990 , que foi a época boa que conheci nada se compara pela quantidade.
                      SE me contasse diria: estória de pescador
         MEU IRMÃO AO MERGULHAR NA ÁGUA (brincando na prainha) EMERGIU COM UMA CORVINA, SEGURANDO-A TODO DESAJEITADO PELO FEITO .
              Aguenta essa, mas tá ele que não me deixa menti sozinho.








Jacaré

Jacaré
jacaré Lagoa Maior em Três Lagoas

Postagens populares

Postagens populares

Arquivo do blog